quinta-feira, 21 de julho de 2011

- Esperança


Ontem meu peito me contou uma historia de quando eramos dois jovens, na verdade éramos nos quatros, eu, você, meu coração e seu coração, me contou que eu quis ser apenas um, e meu amor foi recusado, tantas vezes, tantas vezes mesmo e eu não consigo me lembrar do som da sua voz, mas meu coração me diz que no fundo eu te guardei, tento puxar na memoria, olhando no espelho buscando uma imagem sua em meus olhos, e apenas vejo um reflexo que não parece o meu, nós dois um dia fomos jovens, eu disse ao coração e ele sorriu e disse que isso não importava agora, porque o tempo passa e a vida vem, fazendo que tudo seja uma nova esperança que cada dia seja único e que olhar para trás e ficar em um tempo que não podemos voltar, e quando eu lhe perguntou porque deseja me contar essa historia, ele apenas diz que é hora de se recordar que apesar de toda a dor, algum dia, teve algo de bom, algo que eu não posso supor.

Minha memoria se perdeu quando eu virei a esquina escura dos anos, minha mente é cinza, assim como a cor dos meus cabelos, e nos meus olhos, carrego marcas que parecem ser de alguma dor, e de uma ferida que já se fechou, e a voz do meu coração volta a falar sobre o meu passado e ela não compreende como posso ter esquecido de tudo assim, e sinto um aperto, aperto nesse peito que não me dá paz, e mesmo assim eu não consigo se livrar.

Meu...sim, meu coração me contou, não estou ficando louco, esquizofrênico, ou qualquer doença do tipo, juro que ouvi, a sua voz na minha mente e ele me disse de uma forma tão doce que um dia eu fui amor, e não poderia continuar a viver de rancor, que o ódio apenas nos fazendo mal, e que assim ele não poderia bater por mim e mesmo assim eu não pude fazer nada a não ser ouvir o que ele tinha para dizer, e ele me disse que um dia eu tive um sol, uma alma que eu só quis bem, que toquei seus lábios, que desejei a sua carne, que quis ter todos os filhos, que quis dar a minha vida apenas por um sorriso de outro alguém e então ele sussurrou: "Você já se lembrou?" E a voz dele pareceu ecoar, e nada me veio e nada brilhou, tive vontade de chorar, mas minhas lágrimas já secaram.

Eu sinto que não lembro que eu via em você a perfeição, que era como o sol que brilhava e aquecia sem olhar para quem apenas parte de você, era quem você era, que era como a coisa mais linda que o mundo já teve, que eu acreditava nas mentiras apenas para poder vê-la feliz, e mesmo que tudo que me dissesse me matasse, eu queria ver o sorriso que eu tanto me amava, eu me esqueci disso e de tantos outros detalhes que nem o meu coração ousa me contar.

Olhando para o passado eu não posso ver o seu rosto, porque nós nos desencontramos e eu agora já me encontrei com tantos outros rostos, mas eu não me lembro do seu rosto.

Deve ter sido a dor que apagou as lembranças, apenas para que eu não chorasse, hoje eu não consigo chorar, não tenho lágrimas, e não consigo me lembrar o porque, não sinto dor, não sofro, apenas sou como sou, não procuro o amor, queria apenas viver, mas o vazio parece que vem de longe, e meu coração apenas queria me dizer o porque, e de repente eu tive medo, e como uma estrela caída algo brilhou, e minha mente de acendeu, compreendi, me lembrei, me lembrei de um amor, tão puro inocente, que demorei na época para entender que era amor, mas coração não importa, e ele disse: "Vá mais fundo" e entrei nas lembranças do amor, quase me perdi em um sorriso, do qual 30 segundos antes eu mal se lembrava, e me senti tocado por um anjo, e as lágrimas encontraram os meus olhos, e eu não compreendi o porque de todas as lágrimas, e quando dei por mim, você me deu a mão e me levou com você, sim, meu coração parou e ele disse que era o momento de irmos para outro lugar, eu apenas fui, seguindo aquele velho amor.

Ariane Castro

( Um brinde ao meu retorno )
( Esperança, poderia ser Salvação mas o nome que me veio primeiro, foi o que ficou )
(Outra coisa não entendo em inglês, só algumas palavras, então não me inspirou na música, apenas pego algumas pelas emoções que me fazem sentir. )

Ao Som de 

2 comentários:

* Anjo Desatinado * disse...

Como sempre maravilhoso. Estava sentindo falta dos seus escritos...

Welcome back my daughter!

Ludmilla disse...

como sempre mentimos para dar felicidade para alguém, dize-se que homem não consegue ser feliz sem mentir! muito bom o texto! abraço.